NOTÍCIAS   |   CONHEÇA MIRASSOLÂNDIA   |   GALERIA DE FOTOS   |   TELEFONES ÚTEIS   |  FALE CONOSCO  |   WEB MAIL
 
 
 
 
 

Notícias / Administração Pública

A- | A | A+  

A Prefeita Terezinha fala sobre a crise que afeta os municípios.
Mirassolândia - quinta-feira, 22 de outubro de 2015

A crise econômica que vem assolando o Brasil está provocando desempregos, quedas nas rendas e nas arrecadações do país, dos estados e dos municípios. O que mais preocupa, é que não se percebe o final da crise para logo, vamos amargá-la por muito tempo, caso não nos adequemos ao momento, com austeridade, como se deve. Os maiores prejudicados são municípios, principalmente os pequenos. Eles que atendem, de forma direta, a sua população, disponibilizando diversos serviços imprescindíveis às necessidades humanas. Os municípios têm receita fixa, tendo basicamente como entradas os repasses feitos pelos governos federal e estadual, e alguns minguados impostos municipais que, são o IPTU e algumas taxas. Os gestores municipais nem têm ideia de quanto disporá para saldar as contas até o fim de cada mês.

Os repasses que Mirassolândia recebe dos governos, como tantos outros municípios brasileiros, devido à crise, têm caído mês a mês, enquanto as despesas tem aumentado. Nós temos priorizado a folha de pagamento e os encargos sociais, INSS e FGTS, para não prejudicar o funcionário no atual momento e nem no futuro, quando se aposentarem, o seu fundo de garantia estará à sua disposição. A arrecadação do ano de 2015 está sendo quase a mesma de 2014, porém de um ano para o outro têm ocorrido aumentos consideráveis nas despesas em geral. O salário dos funcionários foi aumentado em 2014 em 8,98%;  em 2015 o aumento foi de 6,6%. O cartão alimentação fornecido aos funcionários foi reajustado  de  R$ 120,00 para R$ 160,00 em 2013; 160,00 para R$ 200,00 em 2014. Também os serviços de outros prestados ao município tiveram aumentos consideráveis, além dos aumentos nos combustíveis, energia elétrica, telefone, medicamentos, alimentos etc. Diante da situação, na medida que entrava dinheiro no caixa, ainda nós conseguíamos efetuar os pagamentos levando em conta as prioridades, sem sobras para fazer investimentos; mas agora, as despesas superaram a receita, e a única saída que nos resta, para manter os serviços essenciais funcionando, é fazer cortes drásticos nas despesas em todos os setores da administração; é o remédio amargo que relutei muito em usar, mas é extremamente necessário até que a economia brasileira se recupere. Devo lembrar que outros municípios localizados em estados tidos como ricos se levantaram em protestos contra os governos devido as diminuições nos repasses. No mês de setembro de 2015, em torno de 300 municípios do Rio Grande do Sul e mais de 400 municípios do Estado de Minas Gerais se manifestaram.

Muitas vezes nós anunciamos a chegada de verbas para executar obras no município, passando a falsa ideia que este dinheiro pode ser remanejado para suprir outros setores, mas não pode, são consideradas verbas carimbadas, já chegam com destino certo e as prestações de contas são rigorosas.

Deixando um pouco de lado a crise, o trabalho que temos realizado, rendeu bastante ao município, pois conseguimos através de vários convênios mais de 5 milhões de reais até o momento, em obras, serviços, maquinários, veículos, ônibus, micro-ônibus, vans, peruas Kombi. Realizamos diversas reformas, como a do Centro de Saúde III, da Praça N. S. Aparecida, da lagoa de tratamento de esgotos, adequações no Aterro Sanitário, pontes e mata-burros, além das estradas municipais; outras reformas ainda estão em andamento, como a reforma e remodelação do Pronto Socorro Municipal, do Centro de Lazer do Trabalhador que engloba o salão de eventos, campo de bocha, quadra poliesportiva, piscinas, vestiários e almoxarifado, do Cemitério Municipal e logo iniciaremos a reforma e remodelação da Av. Walter Lima. Estamos construindo um Centro Odontológico, já construímos a Creche Escola Maria Luiza e o prédio do CRAS.

A necessidade de contenção severa de despesas traz novos desafios ao Governo Municipal. Sem sombra de dúvidas, estamos passando pelo pior momento destes dois últimos anos da atual administração. No entanto, não podemos perder de vista os avanços importantes que conseguimos em favor do município e da população. Nossa prioridade é continuar trabalhando mais ainda para continuar oferecendo serviços públicos de qualidade, principalmente nas áreas da saúde, educação e promoção social. Mais do que nunca, é hora da população tomar conhecimento de que a crise que afeta o país também nos atingiu, como também comprometeu a economia de outros municípios. Agora é o momento de nos unirmos, o Governo Municipal, os servidores municipais, a sociedade em geral, cada cidadão para juntos transpormos este momento adverso e voltarmos aos dias melhores de abundância e de progresso que tivemos num passado recente".

 

Agradeço a Deus pela força que tem me dado para superar os desafios que a vida me impôs. Agradeço ainda, todos os coordenadores, os diretores, os funcionários de todos os setores, inclusive os terceirizados que se uniram com a administração em uma só corrente com o propósito de que,  juntos venceremos!

Terezinha Rodrigues Lima - Prefeita Municipal de Mirassolândia/SP.
 
Voltar          Imprimir

 
 
Nota Fiscal Eletrônica Decreto da NFS-e


Copyright © Prefeitura Municipal de Mirassolândia - Todos os direitos reservados.

Rua Antonio Batista Rodrigues, 364 - Centro - Mirassolândia - São Paulo - CEP 15145-000
Telefone (17) 3263-1307 | E-mail: prefeitura@mirassolandia.sp.gov.br